Escrevendo com adequação! ∞

Por que, por quê, porque ou porquê?

 

A Palavra Porque pode apresentar diferentes grafias, de acordo com o sentido e o papel gramatical que desempenha. Veja:

• Usa-se por que:

a) nas interrogativas diretas e indiretas:

Por que você não chegou mais cedo?

Quero saber o por que meu dinheiro está valendo menos.

b) Pode ser usado com o sentido de “por qual razão” ou “por qual motivo”:

Não sei por que não quis ficar até mais tarde.

Eis por que não lhe escrevi antes.

c) quando a expressão puder ser substituída por para que ou pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais:

A estrada por que passei está em péssimo estado de conservação.

• Usa-se por quê:

a) quando a expressão aparecer em final de frase ou sozinha:

Ficar na festa até mais tarde, por quê?

Não sei por quê.

• Usa-se porque:

a) quando a expressão equivaler a pois, uma vez que, para que:

Não faça mal a ninguém porque você não quer que façam o mesmo com você.

Ele não foi ao cinema porque estava chovendo.

• Usa-se porquê:

a) denota o sentido de “causa”, “razão”, “motivo” e vem acompanhado de artigo, adjetivo ou numeral:

Diga-me o porquê de sua contestação.

Tenho um porquê para ter contestado: meu cartão bancário foi clonado.

• Mal ou Mau?

Na dúvida, adote esta regra prática: mal é o oposto de bem e mau é o oposto de bom

Você é um mau aluno.

Pelo visto, ele está de mal-humorado hoje.

A fim de ou afim?

A fim de indica finalidade; corresponde a palavra para;

Ele estudou mais esse mês a fim de tirar uma boa nota na prova.

Afim corresponde a semelhante ou parente por afinidade;

O departamento de compras e de finanças têm funções afins.

Meio ou Meia?

Meio é advérbio que equivale a um pouco, mais ou menos;

Maria está meio nervosa.

Meia é um adjetivo que equivale a metade (numeral = variável)

Vamos embora, já são meio-dia e meia.

Mais ou mas?

Mais indica quantidade; é o contrário de menos:

Tente prestar mais atenção nas aulas.

Mas é conjugação; equivale a porém, todavia, contudo;

Ela disse que sempre esta certa mas é mentira.

• Há ou a?

emprega-se há:

– com referencia a tempo passado:

Não o vejo muitos anos.

– quando se trata de forma do verbo haver:

uma menina nessa rua chamada Daniela.

• Parônimos e Homônimos!

Parônimos: são palavras que apresentam significados diferentes embora sejam parecidas na grafia ou na pronúncia.

Exemplos:

Flagrante (evidente) / fragrante (perfumado)

Mandado (ordem judicial) /  mandato (procuração)

Inflação (alta dos preços) / infração (violação)

Eminente (elevado) / iminente (prestes a ocorrer)

Arrear (pôr arreios) / arriar (descer, cair)

Homônimos: são palavras que têm a mesma pronúncia, mas significados diferentes.

Acender (pôr fogo) / ascender (subir)

Estrato (camada) / extrato (o que se extrai de)

Bucho (estômago) / buxo (arbusto)

Espiar (observar) / expiar (reparar falta mediante cumprimento de pena)

Tachar (atribuir defeito a) / taxar (fixar taxa)

Fontes: livro “Português: Linguagens de William Cereja e Thereza Cochar”

http://www.brasilescola.com/gramatica/paronimos-homonimos.htm

Postado por: Julia

Published in: on November 26, 2010 at 12:15 am  Leave a Comment  

The URI to TrackBack this entry is: https://mundodalinguaportuguesa.wordpress.com/2010/11/26/escrevendo-com-adequacao-%e2%88%9e/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: